Notícias do dia 19/08

FOLHA ONLINE

Servidores apresentarão contraproposta a reajuste do governo na segunda

A Condsef (Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal), que reúne mais de 30 categorias de servidores federais, informou neste domingo que apresentará ao governo uma contraproposta de aumentos salariais amanhã.

A negociação ocorre em meio à greve de funcionários federais.

Segundo a entidade, se o governo aceitar a proposta, as categorias podem voltar ao trabalho até o final desta semana.

A oferta feita pelo governo não agradou os sindicatos das diversas categorias. Na sexta-feira (17) o governo federal propôs reajuste de 15,8%, a ser pago até 2015, a 18 setores do serviço público federal.

A mesma proposta foi apresentada nas reuniões deste sábado, quando o Condesef rejeitou o reajuste.

“Os 15% rateados em três anos, na forma como o governo apresentou, não estão sendo bem aceitos pela categoria”, afirmou o diretor do Condesef Sérgio Ronaldo da Silva.

A proposta da confederação é a de que o governo eleve o primeiro reajuste, já em 2013, de 5% para cerca de 9%.

Os ajustes salariais nos dois anos seguintes seriam discutidos posteriormente.

De acordo com Silva, a entidade focará no que ele chama de “setores mais precarizados”, aqueles que seguem o Plano Geral de Cargos do Poder Executivo, que pertencem a carreiras comuns a diferentes órgãos (administradores, engenheiros e cozinheiros, por exemplo).

“São funcionários de diversas áreas, como Funai, Embratur e ministérios como da Cultura, Saúde e Previdência.”

SEMANA AGITADA

No início da semana, a Condsef, que reúne 30 categorias do funcionalismo público, prometeu subiu o tom nas negociações com o governo.

A paralisação já começou a afetar, inclusive, a fiscalização do uso de verbas federais repassadas a municípios. A CGU (Controladoria Geral da União) anunciou o cancelamento da auditoria que realizaria em 36 municípios.

Na quinta, uma nova manifestação da Polícia Federal nos aeroportos de Rio e São Paulo chegou a deixar 4.000 pessoas nas filas de Guarulhos. Só terminou depois de uma decisão judicial considerar a operação ilegal.

Ontem, os professores da UnB encerraram a grave depois de três meses de braços cruzados.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: